A Prefeitura Municipal de Itapiúna, através da Secretaria de Saúde realizam neste sábado, dia 24, a Campanha de Vacinação Antirrábica – 2018.

A vacinação terá início a partir das 8 horas, nos seguintes locais:

Praça central

Unidade Básica de Saúde, sede 1, no bairro Nova Itapiúna

Unidade Básica de Saúde, sede 2, Umburanas

Unidade Básica de Saúde, sede 3, na Cosmo Santos

Transmissão e sintomas

A transmissão da raiva ocorre principalmente através de mordedura e pode ser transmitida também pela arranhadura ou lambedura de animais infectados com a doença. A eliminação de vírus pela saliva nos cães e gatos ocorre de 2 a 5 dias antes do aparecimento dos sinais clínicos e persiste durante toda a evolução da doença (período de transmissibilidade). A morte do animal acontece, em média, entre 5 e 7 dias após a apresentação dos sintomas.

O período de incubação do vírus no cão e no gato é de 15 dias a 2 meses. Os sintomas do cachorro que contraiu raiva são: agressividade, salivação excessiva, latido rouco, tremores musculares e ranger de dentes, falta de coordenação motora, andar cambaleante e contrações involuntárias. Já nos gatos, há mudanças sutis de comportamento, seguido de hiperatividade e possíveis convulsões. A fase paralítica é terminal, apesar de ser provável que os animais morram no segundo estágio, das convulsões. Em média, a morte do cão e do gato infectado ocorre de 5 a 7 dias após o início dos sintomas.

Ao verificar o primeiro sintoma no cachorro ou no gato, é necessário que as pessoas que tiveram contato ou que foram agredidas pelo animal lavem o ferimento abundantemente com água e sabão, apliquem produto antisséptico e procurem atendimento médico o mais rápido possível. Em Fortaleza, as unidades de referência no tratamento antirrábico humano são o Posto de Saúde Paulo Marcelo, da rede pública municipal, e o Hospital São José, do Governo do Ceará.

A raiva é uma doença infecciosa viral aguda, que acomete mamíferos, inclusive o homem, e caracteriza-se como uma encefalite progressiva e aguda com letalidade de aproximadamente 100%. Neste ano, até o dia 20 de novembro, 73 casos de raiva animal foram confirmados no Ceará. Destes, 41% foram em morcegos não hematófagos (que não sugam sangue). Até o último dia 17, o estado registrou 33.495 acidentes por animal potencialmente transmissor de raiva.