Na sexta-feira (30) no Auditório da Universidade do Parlamento Cearense (UNIPACE), profissionais da saúde e assistência social de Itapiúna participaram do lançamento da campanha Setembro Amarelo.

O evento foi realizado pelo projeto “Vidas Preservadas: o Ministério Público e a sociedade pela prevenção do suicídio”. Representando o Município de Itapiúna, estiveram presentes: o psicólogo do CRAS de Palmatória, Tomaz Davi de Aquino; coordenadora do CRAS sede, Rita de Cássia Bezerra de Souza; Psicóloga Nasf, Ingrid Ellen Rabelo; Enfermeira do CAPS, Maria Aurilene da Silva Feitosa Duarte, e O Tec. de enfermagem Caps Lairton Soares Araújo.

“Qualquer doença incomoda e falar sobre ela também incomoda. Mas é preciso não ter receio e falar abertamente sobre transtornos mentais para evitar o suicídio. É preciso mudar essa realidade!”. A afirmação é do psiquiatra José Manoel Bertolote, criador do programa de prevenção do suicídio da Organização Mundial de Saúde (OMS), e levou o alerta sobre o tema para um auditório lotado de profissionais da saúde, da educação e da assistência social, além do público em geral. 

“O suicídio hoje é considerado uma epidemia no mundo, no Brasil e no nosso estado também. 51% de todas as mortes violentas que acontecem no mundo hoje são decorrentes de suicídio. E, mesmo assim, todos os entes envolvidos sabem que existe uma alta subnotificação dos casos. Por isso, o Vidas Preservadas reúne as principais instituições públicas, privadas e não governamentais que atuam no cuidado da saúde mental da população para trabalhar em conjunto na prevenção e intervenção”, explica o promotor de Justiça, Hugo Mendonça, um dos coordenadores do projeto no Estado.